Salmos 141

1 Ó SENHOR, eu clamo a ti; apressa-te a mim; ouve minha voz, quando eu clamar a ti.

2 Apresente-se minha oração como incenso diante de ti; e o levantar de minhas mãos como a oferta do anoitecer.

3 Põe, SENHOR, uma guarda em minha boca; vigia a abertura dos meus lábios.

4 Não inclines meu coração para as coisas más, para fazer o mal junto com homens que praticam maldade; e não coma eu das delícias deles.

5 Que o justo me faça o favor de me espancar e me repreender; isto me será azeite sobre a cabeça; minha cabeça não rejeitará, porque ainda orarei contra as maldades deles.

6  Quando seus juízes forem lançados contra a rocha, então ouvirão minhas palavras, porque são agradáveis.

7 Como quem lavra e fende a terra, assim nossos ossos são espalhados à entrada do Xeol.

8 Porém meus olhos estão voltados para ti, ó Senhor DEUS; em ti confio; não desampares minha alma.

9 Guarda-me do perigo da armadilha que me prepararam; e dos laços da cilada dos que praticam maldade.

10 Caiam os perversos cada um em suas próprias redes, e eu passe adiante em segurança .

Este site ainda está em produção. Os estudos estão sendo implementados gradualmente. Em breve os comentários de todos os capítulos estarão completos.